sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Raio-X: Vidal x Ramires


               Continuando o especial do Rao-X Copa do Mundo, depois de mostrar a comparação de dois atacantes matadores sul-americanos em janeiro, chegou a vez de fevereiro trazer o “embate” entre dois volantes também do futebol sul-americano. Dois volantes que se destacam bastante hoje no futebol mundial e por muitas vezes acabam sendo mais do que simples volantes. Hoje compararemos o chileno Arturo Vidal e o brasileiro Ramires.
                Arturo Erasmo Vidal Pardo, nascido em Santiago do Chile em 22 de maio de 1987, tendo hoje 26 anos e atuando na Juventus da Itália. Sua carreira começou na base do Colo-Colo e também foi o seu primeiro clube profissional. Estreou na equipe principal no Apertura de 2006 com 18 anos, mas se tornou jogador chave da equipe apenas na temporada seguinte e ajudando o clube a conquistar o bicampeonato (contando como Apertura e Clausura). Na Copa Sul-Americana de 2006 marcou 3 gols e já começou a chamar a atenção de clubes Europeus.
                O bom desempenho no clube e no Mundial sub-20 foram suficientes para que Rudi Völler, então técnico do Bayer Leverkusen fosse até o Chile convencer Vidal a assinar com o clube. O volante foi a maior transferência de um clube chileno, custando cerca de 11 milhões de dólares (com o Bayer pagando 7,7 milhões para ter 70% de seu passe) superando Matías Fernandez que havia sido vendido por 9 milhões de dólares ao Villareal. No Leverkusen, Vidal foi peça chave da equipe logo cedo e participou da maioria dos jogos durante seu período no clube alemão, que foram de quatro temporadas. Em sua ultima temporada na equipe, teve mais liberdade para avançar ao ataque, demonstrando assim uma nova qualidade além da marcação, a de apoio e principalmente de finalização, marcando 10 gols.
                O Bayern de Munique tentou a sua contratação, mas Arturo foi mesmo jogar na Juventus por cerca de 10,2 milhões de euros. Na velha Senhora o volante cada vez está se destacando mais e hoje é um dos principais volantes do mundo. Com sua chegada, Conte até mesmo mudou a tática do clube, tendo que encaixá-lo ao lado de Marchisio e Pirlo, e formando um 4-3-3. Hoje a equipe joga em um 3-5-2 na qual o volante tem bastante liberdade de chegar à frente, mas nunca deixando de lado sua forte marcação. Hoje é o maior volante artilheiro de toda a Europa, marcando 16 gols pela Juventus na temporada.
                Ramires Santos do Nascimento nasceu em Barra do Piraí no dia 24 de março de 1987, tendo 26 anos e atuando no Chelsea da Inglaterra. Sua carreira começou no Joinville, sendo promovido ao profissional do clube em 2005 atuando como lateral direito. Em 2006 começou a ter mais oportunidades e acabou sendo deslocado para o meio de campo, aonde se destacou por sua versatilidade. Em 2007 após a disputa do Campeonato Catarinense foi contratado pelo Cruzeiro.
                No Cruzeiro o objetivo era substituir Ricardinho que não estava apresentando um bom futebol e logo foi ganhando a confiança por mesmo não tendo um grande porte físico, apresentar bastante disposição e raça. Aos poucos começou a ser intocável no time cruzeirense e no Brasileirão de 2008 entrou na seleção do campeonato ao lado do são paulino Hernanes.
                O volante foi vendido ao Benfica por cerca de 7,5 milhões de euros e em apenas uma temporada no clube português, seu destaque foi tanto que o Chelsea o comprou por cerca de 22 milhões de euros. Nos Blues, Ramires está atualmente na sua quarta temporada e é um dos destaques da equipe. É peça chave na transição entre a defesa e o ataque, dando bastante velocidade a equipe ou atuando pelo lado direito do campo, como um “meia-ala”. Foi fundamental na campanha do Chelsea que venceu a Liga dos Campeões, marcando inclusive um belo gol contra o temido Barcelona. Apesar de estar suspenso na final, foi reconhecido pelos companheiros como o melhor jogador da equipe na temporada.
                Hoje ambos os jogadores são considerados um dos melhores volantes do mundo e com características bem parecidas de marcar e sair para o jogo com intuito de apoiar os homens da frente. Ramires acabou se adaptando bem também jogando pela direita e isso é um ponto forte para o jogador, mas Vidal se sobressai marcando uma grande quantidade de gols e assistências. Deixando o patriotismo de lado por Ramires ser brasileiro, o momento do chileno é simplesmente surreal e vem sendo ao lado de Yaya Toure e Schweinsteiger os três principais jogadores da posição. Deixando de lado a “marra” e observando apenas o talento, hoje Vidal é mais jogador do que Ramires.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Artilheiros das Seleções

               
Aproveitando o clima de Copa do Mundo, o Geral FC foi atrás de uma grande curiosidade do mundo do futebol, que talvez nem todos saibam. Sabemos que Ronaldo é o maior artilheiro de todas as Copas, mas quem são os maiores artilheiros de cada seleção? Quem fez mais gols na história vestindo as cores de seu país? Confira a lista das 32 seleções que disputarão a Copa do Mundo de 2014 abaixo:

GRUPO A

Brasil – Pelé, 95 gols.
Croácia – Davor Suker, 45 gols.
México – Jared Borgetti, 46 gols.
Camarões – Samuel Eto’o, 55 gols (em atividade).

GRUPO B

Espanha – David Villa, 56 gols (em atividade).
Holanda – Robin Van Persie, 41 (em atividade).
Chile – Marcelo Salas, 37 gols.
Austrália – Damian Mori, 29 gols.

GRUPO C

Colômbia – Arnoldo Iguarán, 25 gols.
Grécia – Nikolaos Anastopoulos, 29 gols.
Costa do Marfim – Didier Drogba, 63 gols (em atividade).
Japão – Kunishige Kamamoto, 80 gols.

GRUPO D

Uruguai – Luís Suarez, 39 gols (em atividade).
Costa Rica – Rolando Fonseca, 47 gols.
Inglaterra – Bobby Charlton, 49 gols.
Itália- Gigi Riva, 35 gols.

GRUPO E

Suíça – Alexander Frei, 42 gols.
Equador – Agustin Delgado, 31 gols.
França – Thierry Henry, 51 gols (em atividade).
Honduras – Carlos Pavón, 58 gols (em atividade).

GRUPO F

Argentina – Batistuta, 56 gols.
Bósnia-Herzegovina – Edin Dzeko, 31 gols (em atividade).
Irã – Ali Daei, 109 gols.
Nigéria – Rashidi Yekini, 37 gols.

GRUPO G

Alemanha – Klose e Gerd Müller, 68 gols (primeiro em atividade).
Portugal – Cristiano Ronaldo, 47 gols (em atividade).
Gana – Asamoah Gyan, 35 gols.
Estados Unidos – Landon Donavan, 57 gols (em atividade).

GRUPO H

Bélgica – Bernard Voorhoof, 30 gols.
Argélia – Abdelhafid Tasfaout, 35 gols.
Rússia – Vladimir Beschastnykh, 26 gols.
Coréia do Sul – Cha Bum-kun, 55 gols.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Destaques do interior!

               
 Os estaduais já passaram de sua metade e alguns grandes vêm tendo trabalho com alguns clubes do interior. Obviamente, nada como antigamente, mas entra ano e sai ano sempre temos uma ou duas boas surpresas no campeonato. No Campeonato Paulista, podemos destacar a campanha de dois clubes, que inclusive lideram o seu grupo. O Botafogo de Ribeirão Preto, um pouco mais tradicional e a Penapolense.
                Ambos os clubes inclusive mantiveram o bom desempenho do ano passado, quando conseguiram avançar para a fase de grupos e dando trabalho para os clubes grandes. Este ano o clube de Penápolis, por exemplo, lidera o Grupo A com 18 pontos, três a mais que o São Paulo. A Penapolense inclusive foi o time que tirou a invencibilidade do Santos, com uma sonora goleada de 4 a 1. O Botafogo por sua vez tirou a invencibilidade ainda ontem do último clube invicto do Campeonato, o Palmeiras, vencendo por 3 a 1. O clube conta com um atleta Campeão Brasileiro, Leandro “Guerreiro”, que foi campeão com o São Paulo em 2007 e 2008. Vale destacar inclusive o confronto das duas equipes que acontecem neste próximo sábado, as 18:30 no Estádio Santa Cruz.
                No Campeonato Carioca podemos destacar o Cabofriense que ocupa a terceira colocação e ontem venceu o Vasco em São Januário e de virada. Até o momento venceram os dois grandes do Rio, Vasco e Botafogo e na próxima rodada enfrentarão o Fluminense, podendo se vencer, assumir a vice-liderança.
                No Campeonato Gaúcho, para os mais tradicionais, ver a volta do Brasil de Pelotas e o bom momento do time é motivo de bastante alegria. O clube é o segundo no Grupo A com 19 pontos empatados junto com o Veranópolis e estando na frente graças ao saldo de gols. O clube não disputava a primeira divisão desde 2009, ano inclusive que aconteceu a tragédia que matou o atacante uruguaio Claudio Milar, ídolo da equipe com 111 gols.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Copa do Mundo 2014: Inglaterra x Itália



População: 60 milhões.
Área: 130 395 km².
Moeda: Libra Esterlina.
Capital: Londres.
Idiomas: Inglês.

                A Inglaterra é uma das nações constituintes do Reino Unido, fazendo fronteira com Escócia ao norte e País de Gales a oeste. Ao sul está o Canal da Mancha, que a separa do restante do Continente Europeu. A maior parte da Inglaterra compreende a parte central e sul da ilha da Grã-Bretanha, no Atlântico Norte. O país também inclui mais de 100 ilhas menores, como as Ilhas Scilly e a Ilha de Wight.
O território da Inglaterra é, em sua maioria, composto por pequenas colinas e planícies, especialmente no centro e no sul do país. No entanto, existem planaltos no norte (por exemplo, Lake District, Peninos e Yorkshire Dales) e no sudoeste (por exemplo, Dartmoor e Cotswolds). A antiga capital da Inglaterra  era Winchester até Londres assumir o posto em 1066. Hoje Londres é a maior área metropolitana no Reino Unido e a maior zona urbana da União Europeia.
                O país possuí uma vasta história e cultura, desde eras pré-históricas. Há indícios que a Grã-Bretanha era uma só com a Irlanda e a Eurásia (massa de terra que abrange a Europa e Ásia), mas com o aumento do nível do mar, acabou sendo separada e se tornando apenas uma ilha.

FUTEBOL:

                A Inglaterra é tida como o país que inventou o futebol e foi de lá, que Charles Miller o trouxe para o Brasil. Em 30 de novembro de 1872, Inglaterra e Escócia realizaram o primeiro jogo entre seleções na história do futebol. O jogo ocorreu no campo do West of Scotland Cricket Ground, Patrick e terminou em 0 a 0. Em 1884, os países que compõem o Reino Unido, começaram a disputa da Home Championship, torneio anual que só parou de ser disputado 100 anos depois, em 1984 e em mais da metade (54 para ser mais exato) teve a Inglaterra como campeã.
                A seleção inglesa foi campeã apenas uma vez, em 1966 em seus próprios domínios. A final foi contra a Alemanha ocidental e vencida pelo placar de 4 a 2. A campanha foi de cinco vitórias e um empate, com onze gols marcados e apenas três sofridos. Foram 14 participações em Copas do Mundo e oito em Eurocopas, ficando no máximo em terceiro lugar em 1968. É uma seleção tida sempre como forte, porém, sempre decepciona. Tem a Liga Nacional mais forte do mundo, mas devido ao excesso de estrangeiros isso atrapalha a seleção.

PRINCIPAL JOGADOR:

                Wayne Rooney é o grande jogador da seleção inglesa apesar de não estar em seu melhor momento. É o grande responsável em fazer a transição de gerações render, já que antigos companheiros como Lampard e Gerrard estão em fim de carreira e uma reformulação é preciso na seleção. Rooney tem grande destaque por sua velocidade e finalizações precisas, mas também chama atenção por um temperamento forte, que já lhe acarretou bastantes expulsões por motivos bobos. Cria da base do Everton, foi vendido ao Manchester United por 37 milhões de euros na temporada de 2004/2005, desde então sendo titular absoluto na equipe e ganhando grande destaque mundialmente. Hoje, aos 28 anos, especulasse muito sobre seu futuro fora dos Diabos Vermelhos, mas renovou seu contrato ontem até 2019.

NOVA GERAÇÂO:

                Está será a ultima Copa do Mundo para alguns jogadores, como Gerrard e Lampard e, portanto, a seleção inglesa precisa de renovação e de novos craques que chamem a responsabilidade, principalmente no meio de campo. O principal nome para esse setor e grande esperança de futuro na Inglaterra é Jack Wilshere do Arsenal de apenas 22 anos. A zaga ao que tudo indica será renovada mais facilmente com Gary Cahill do Chelsea e Phil Jones do Manchester United.  No ataque outros jovens vêm começando a ganhar destaques como Oxlade-Chamberlain do Arsenal e Sturridge do Liverpool, além de Walcott do Arsenal que é jovem e estaria na Copa do Mundo com toda certeza se não fosse sua lesão grave.




População: 60 milhões.
Área: 301 230 km².
Moeda: Euro.
Capital: Roma.
Idiomas: Italiano.

                Indiscutivelmente a civilização italiana é uma das mais influentes tanto na Europa, quanto no Mundo ao longo da história. É o berço da civilização etrusca, da Magna Grécia, Império Romano, da Igreja Católica, além das republicas marinhas do Humanismo, do Renascimento, Fascismo. Foi aonde nascerão diversos artistas, cientistas, músicos e exploradores.
                A Itália está localizada no sul da Europa e compreende a península Itálica e uma série de ilhas, incluindo as duas maiores, Sicília e Sardenha. Situa-se entre as latitudes 35° e 47° N e longitude 6° e 19° E. Embora o país compreenda a totalidade península e a maior parte da bacia sul alpina, alguns do território da Itália se estendem além da bacia alpina e algumas ilhas estão localizadas fora da plataforma continental da Eurásia. Esses territórios são as comunas de Lívigno, Sesto, Innichen, Dobbiaco (em parte),Chiusaforte , Tarvisio, Curon Venosta (em parte), que fazem parte da bacia do rio Danúbio, enquanto o Val di Lei constitui parte do bacia do Reno e as ilhas de Lampedusa eLampione estão na plataforma continental africano.

FUTEBOL:

                Indiscutivelmente é uma das maiores seleções do mundo e a segunda maior vencedora de Copas do Mundo, com quatro conquistas (1934, 1938, 1982 e 2006), além de outros dois vice-campeonatos e um terceiro lugar. Na Eurocopa, segunda competição mais importante para uma seleção europeia, a Itália foi campeã uma vez (1968) e dois vice-campeonatos. Ainda ganhou uma medalha de ouro em olimpíadas (1936).
                A cor tradicional da camisa da seleção é em homenagem à antiga casa real italiana de Saboia, cuja família reinou o país de 1861 até 1946 e tinha como o brasão imperial a cor predominante azul claro (azzurro em italiano) e, portanto, os membros da seleção são apelidados Azzurri e a seleção, deSquadra Azzurra. Os calções são tradicionalmente brancos, e tradicionalmente também a combinação contrária (camisas e meias brancas e calções azuis) constituem o uniforme reserva. Uma triste lembrança em meio ao título na Copa do Mundo de 1938, entretanto, foi em relação ao segundo uniforme utilizado: totalmente preto, a cor do fascismo, tendo sido utilizado nas semifinais contra os anfitriões franceses. Calções pretos também foram utilizados na Copa do Mundo de 1966, no jogo contra a União Soviética.
                Uma curiosidade sobre a seleção italiana, é que em todas as Copas em que se sagrou campeã, ela tinha jogadores “estrangeiros” na equipe, mas com cidadania italiana. Em 1934 tinham o brasileiro Anfilogino Guarisi, os argentinos Luis Monti, Attilio Demaria, Raimundo Orsi e Enrique Guaita, em 1938 tinha o uruguaio Michele Andreolo, o líbio Claudio Gentile em 1982 e mais recente, o argentino Mauro Camoranesi e o inglês Simone Perrotta em 2006.

PRINCIPAL JOGADOR:

                A seleção italiana tem alguns jogadores consagrados e veteranos, como Gianluigi Buffon e Andrea Pirlo, porém, dessa nova geração a principal estrela que podemos destacar é Mario Balotelli. O jovem atacante é dotado de bastante força e habilidade, além de um potente chute de pé direito. Tem apenas 23 anos e é um dos atacantes com maior potencial no Mundo. Até pouco tempo, nunca tinha errado uma cobrança de pênalti. Balotelli é famoso também por seu comportamento e temperamento difícil e pelas diversas polemicas que já causou, fora de campo inclusive.

DEFESA IMPONENTE:

                A Seleção da Itália é bastante conhecida por seu sistema defensivo sólido e uma forte marcação. Foi assim que conquistaram quatro Copas do Mundo, mas nos últimos anos existe uma tentativa de mudar essa filosofia, com um time mais criativo e com um ataque poderoso. Porém, o meio de campo ainda carece de jogadores que sejam grande criadores de jogadas, não é por menos que Andrea Pirlo, volante de origem, mas com grande técnica acabou encarregado dessa função. A “parede” da equipe ainda estará nas mãos de Buffon, um dos maiores goleiros do século e porque não da história?

TABELA DE JOGOS:

                O Grupo D aonde estão Inglaterra e Itália é tido como o Grupo da Morte da Copa do Mundo de 2014, tendo ainda o Uruguai e a Costa Rica que deverá ser o “saco de pancadas” do grupo. O jogo entre as equipes acontece no dia 14 de junho na Arena Amazônia as 19 horas. Confira os demais jogos das duas equipes:

Uruguai x Inglaterra – quinta 19/06 às 16h, Arena Corinthians.
Itália x Costa Rica – sexta 20/06 às 13h, Arena Pernambuco.
Costa Rica x Inglaterra – terça 24/06 às 13h, Mineirão.
Itália x Uruguai – terça 24/06 às 13h, Arena das Dunas.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Promessas Mundiais - Nico Lopez

                
               Nicolas Lopez é um jovem uruguaio nascido em 1 de outubro de 1993 em Montevideo. Também é conhecido como Nico Lopez e no Uruguai por “Diente”. Começou a sua carreira no Wanderers ainda na base, mas foi reprovado por não ter o porte físico de um atleta profissional. Desde então seguiu para o Nacional, um gigante Uruguaio, e sua carreira começou a deslanchar.
                No Nacional brilhou nas categorias de base, principalmente na Punta Cup de 2011 (torneio de base disputado por alguns clubes em Punta del Este), marcando 12 gols em apenas 7 jogos. No dia seguinte após o termino do torneio foi integrado ao time principal do Nacional. Sua estreia pelo profissional aconteceu em abril daquele ano, como titular, atuando os 90 minutos e já marcando seu primeiro gol.
                Ainda em 2011, deixou o clube uruguaio para assinar com a Roma. A sua saída gerou grande polemica no país, já que sua multa foi paga pelo próprio representante do jogador. Na Roma o jogador teve poucas oportunidades na ultima temporada,  atuando 7 partidas (apenas uma completa, as outras como suplente e jogando poucos minutos) e marcando apenas 1 gol. No começo desta temporada, a Udinese comprou 50% de seu passe em um acordo de copropriedade (comum na Itália) por 1 milhão de euro.
                Na Udinese, Nico Lopez já vem tendo mais espaço e se destacando em alguns jogos. Jogando 15 partidas e marcando três gols. O mais importante talvez tenha sido na virada contra o Milan pela Copa da Itália em pleno San Siro, garantindo a classificação da equipe.

                Pela seleção Uruguaia, o jovem atacante vem cada vez crescendo e pode ser uma das surpresas na convocação para a Copa do Mundo. O garoto foi destaque do ultimo Sul-Americano e Mundial sub-20, realizados em 2013. No Sul-americano foi o goleador da competição com seis gols marcados e no Mundial ganhou a Bola de Prata, ficando atrás apenas do badalado Paul Pogba, que foi campeão com a França.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O velho jeitinho brasileiro!



              Esse velho jeitinho brasileiro de se aproveitar e tirar vantagem de tudo que se pode é de dar nojo. Fica complicado dizer que os políticos do país são corruptos quando nós mesmos sempre adoramos nos beneficiar na malandragem até mesmo de coisas pequenas. Pois bem, o impasse do Beira-Rio é esse velho jeitinho brasileiro voltando a tona, em pessoas que se dizem tão “argentinas”.
               Para quem não está por dentro do caso, o que está ocorrendo é que em todos os estádios e não somente no Beira-Rio é preciso ser gasto um dinheiro (alto obviamente) com estruturas temporárias. Sem essas estruturas o estádio ficaria fora da Copa do Mundo e o Internacional que no começo se comprometeu com a obra, hoje tenta empurrar para alguém e no final das contas mais gastos públicos vão ser gerados.
               Essa é uma polemica antiga, afinal, o Ministério Público em outubro do ano passado já moveu uma ação para que os gastos dessa estrutura sejam arcados pela FIFA e COL e não com recursos públicos que não deixarão o tal legado para a população. Em partes eu concordo com o Ministério Público, afinal essa estrutura temporária não poderia sair do bolso da população, mas convenhamos que todo esse gasto com a Copa do Mundo não deixará legado nenhum praticamente. Dizer que estádios feitos aonde nem se quer futebol profissional existe direito e com tantos outros problemas que temos no país será “legado para a população” é no mínimo triste.
               Voltando ao caso Beira-Rio, quando o Internacional se propôs a ter o seu estádio na Copa do Mundo e assumiu o compromisso das obras, ele estava ciente de que cedo ou tarde teria que arcar com essa estrutura, assim como o Corinthians e o Atlético Paranaense, clubes que terão o seu estádio particular na Copa do Mundo. Curiosamente, as declarações só foram feitas após praticamente o termino da reforma de seu estádio.
               Entenda que essa reforma no Beira-Rio só saiu por causa que o Estádio iria ser uma das sedes para a Copa. Todo o investimento conseguido para isso, inclusive o público, só foi arranjado porque o estádio estaria na Copa do Mundo. Agora que a parte que convém ao clube já está praticamente pronta, querer fugir da responsabilidade assumida anteriormente não se difere da corrupção que vemos em muitos políticos em nosso país. 
               O que é mais triste é que no final das contas, o povo vai acabar saindo perdendo como sempre. Ou a obra será arcada pelo governo e mais dinheiro público será investido aonde não deveria ou os jogos da Copa serão transferidos para Arena Grêmio, e todo o dinheiro gasto no Estádio do Beira-Rio terá sido inútil. Acredito que a primeira opção será a escolhida.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Até quando?

Antes de tudo quero deixar claro que não sou Vascaíno e nem torcedor de um rival do Flamengo e muito menos carioca. Não vim aqui criticar que erros assim sempre acontecem a favor do Flamengo ou de qualquer outro clube. Quero tecer uma critica em relação a este lance especifico e em declarações dos responsáveis que já foram ditas.
               Como alguém sem o foco destorcido pela paixão de um torcedor dos clubes relacionados e vendo a situação em que o futebol brasileiro caminha, um erro como o de ontem é extremamente preocupante e a atitude do Presidente da Comissão de Árbitros do Rio de Janeiro é ainda mais preocupante, pra não dizer triste.
               O futebol é um esporte, e tal deveria ser feito para divertir as pessoas acima de tudo, porém hoje as coisas caminham mais para um grande negócio e já que é visto dessa forma, deveria ser mais profissional. O erro de ontem foi grosseiro, algo injustificável e acima de tudo me pareceu, e muito, intencional. Se o juiz de linha de fundo é flamenguista ou um anti-vascaíno não importa, mas pelo posicionamento, foco do mesmo na jogada e clareza do lance (pois a bola entrou mais de 30cm) não existe outra explicação a não ser a má fé.
               Para piorar, a declaração dada pelo presidente de não punir o juiz é ainda pior. É aceitar um erro dessa magnitude e achar que tudo está normal. Veja bem, um erro deste em qualquer outra profissão seria tratado com punições severas e para “sorte” dos envolvidos, o jogo apesar de um clássico, não era de suma importância.
“Se o juiz errou é porque não viu”, essa foi uma das coisas ditas pelo presidente. Supondo que ele realmente não tenha visto, ele deve ter problemas sérios de visão, logo não estaria apto para ser um juiz que depende desse “instrumento do corpo”. Ele está ali apenas para isso, é pago para isso e no mínimo o auxiliar deveria ser punido, infelizmente (ou felizmente) afastado de suas funções por não ser apto a exercê-las.
Mais uma vez vemos o descaso das autoridades (in)competentes com uma situação que só tem piorado. No Brasil ninguém assume as suas responsabilidades e enquanto isso o torcedor segue sendo lesado, pagando caro em ingressos, matérias esportivos e tem um espetáculo estragado por erros grotescos. E as coisas vão continuar assim? Obviamente! A não punição em um lance desse certamente dará “tranquilidade” aos demais árbitros a errarem sem medo de sansões.

Muitos pedem tecnologia nos estádios, profissionalização da arbitragem, mas antes de tudo isso precisamos acabar com essa corrupção e comodismo de quem comanda o esporte.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

História dos Clássicos: Derby Paulista.

                Derby Paulista ou O Derby é o nome pelo qual é conhecido o duelo paulista entre os clubes de futebol Sport Club Corinthians Paulista e Sociedade Esportiva Palmeiras. É o clássico mais tradicional e de maior rivalidade entre dois clubes de futebol na cidade de São Paulo, já que reúne as agremiações paulistanas ainda na ativa mais antigas. Foi o jornalista Tomás Mazzoni quem batizou a rivalidade como O Derby, em referência à mais importante corrida de cavalo do mundo, o Derby de Epsom.
Derby Paulista
O Corinthians surgiu em 1910, associado às camadas mais populares da sociedade paulistana. Quatro anos depois, o Palmeiras surgiu como o representante da imensa comunidade italiana de São Paulo, com o nome de Palestra Itália - o nome Sociedade Esportiva Palmeiras só foi adotado em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial quando sofreu perseguição.
Corinthians e Palmeiras já decidiram diversos campeonatos de diversos níveis e vagas importantes. Campeonatos Paulistas, Rio-São Paulo e até mesmo Campeonato Brasileiro já tiveram em sua decisão o Derby Paulista. Até mesmo decidindo vaga na Copa Libertadores da América esse clássico já ocorreu. Em 1999 o Palmeiras eliminou o Corinthians nas quartas de finais e seria campeão daquela edição mais tarde. Já em 2000 a vitória alviverde foi nas semifinais e seria vice-campeã para o Boca Juniors.
É por causa desses números, que este é o clássico que mais vezes disputou finais ou vagas importantes na história do futebol brasileiro. Tamanha rivalidade também chegou nas telas dos cinemas, com o filme “O Casamento de Romeu e Julieta” em 2005. O clássico de Shakespeare foi adaptado a nossa sociedade moderna, aonde Julieta é filha de um fanático Palmeirense, enquanto Romeu é líder de uma torcida corintiana.

Dados gerais:

Total de jogos: 342.
Total de gols: 950
Vitórias do Palmeiras: 121.
Gols do Palmeiras: 496.
Vitórias do Corinthians: 118.
Gols do Corinthians: 457.
Empate: 103.
Maior público pagante: 120.902 (Palmeiras 1 x 0 Corinthians) – 22 de dezembro de 1974.
Maior artilheiro do clássico: Cláudio (Corinthians) – 21 gols.

8x0 Anos da maior goleada:

                Um pouco mais de três meses atrás, a maior goleada entre Palmeiras e Corinthians completou 80 anos. O jogo ocorreu no dia 5 de novembro de 1933 e o que tudo indicava ser um domingo comum de clássico se transformou em um marco histórico. Um placar desta magnitude surpreendeu a todos, porém a vitória do Palestra já era esperada por ter um time melhor e por já ter vencido o rival no primeiro turno também por uma goleada, só que um pouco mais “modesta”, por 5 a 1.
                Foi uma época difícil para o Corinthians, já que entre 1931 e 1933 o clube sofreu cinco das suas maiores goleadas na história (Santos 7 a 1 e posteriormente 6 a 0, Botafogo-RJ 7 a 1 e São Paulo 6 a 1, além é claro desta contra o Palmeiras).
                Romeu Pellicciari foi o nome da partida marcando três gols nos 36 minutos iniciais e depois mais um na etapa complementar. Imparato fez mais três gols e Elisio Gabardo fechou a conta (não necessariamente nesta ordem). Depois desse jogo, algo que se repetiriam mais vezes ao longo da história, inclusive recentemente, foi a “invasão” de cerca de 500 sócios foram a sede do clube exigir a saída de toda a diretoria.

FICHA TÉCNICA
Palestra Itália 8 x 0 Corinthians
Estádio: Palestra Itália
Data: 05/11/1933
Local: São Paulo-SP
Árbitro: Haroldo Dias de Mota

Palestra Itália: Nascimento; Carnera e Junqueira; Tunga, Dully e Tuffy; Avellino, Gabardo, Romeu Pellicciari, Lara e Imparato. Técnico: Humberto Cabelli

Corinthians: Onça; Rossi e Bazani (Nascimento); Jango, Brancário e Carlos; Carlinhos, Baianinho, Zuza, Chola e Gallet. Técnico: Pedro Mazzulo

O Gerente:

                Claudio Christovam de Pinho, também conhecido como “Gerente”, por ser o líder do time corintiano na década de 40 ao lado de outros grandes jogadores como Baltazar, Luizinho Pequeno Polegar e Mario Carbone. É o maior artilheiro da história do clube do Parque São Jorge com 306 gols em 554 partidas e também o maior artilheiro do principal clássico do clube, o Derby Paulista, marcando 21 gols.
                Tinha uma técnica refinada e era extremamente perigoso nas bolas paradas, tanto como escanteio, quanto falta. Uma das suas principais jogadas eram os cruzamentos, que direcionados na cabeça de Baltazar, o “Cabecinha de Ouro”, quase sempre resultavam em gols.
                Foi revelado no Santos e curiosamente teve passagem por todos os quatro grandes clubes do estado, ganhando um título Paulista no Palmeiras em 1942 e outros seis títulos no Corinthians (três Paulistas e três Rio-São Paulo), além de uma Copa América com a Seleção Brasileira (1948) e uma Copa Rio Branco (1947).
                Morreu em 2000 vitima de um ataque cardíaco em Santos, cidade onde nasceu.

O Tetra que viraria Octa:

                Em 1994 Corinthians e Palmeiras disputaram a final do Campeonato Brasileiro e a expectativa para ambos os clubes era grande. Ambos tinham grandes jogadores. Do lado do time alviverde tinha grandes nomes trazidos pela parceria de cogestão com a multinacional Parmalat. Rivaldo, Flávio Conceição, Edmundo, Zinho e Antônio Carlos, com a companhia ainda de Velloso, César Sampaio e Evair, eram
comandados por Vanderlei Luxemburgo. Já a escalação do técnico Jair Pereira contava com Ronaldo, Marcelinho Carioca, Viola, Marcelinho Paulista, Souza, Marques e o rodado Branco.
Como havia vencido o primeiro jogo por 3 a 1, jogando no Pacaembu, o Palmeiras poderia até perder pela mesma diferença na volta para ser campeão brasileiro pela quarta vez, porque possuía a melhor campanha até então. Quando a bola rolou, diante de pouco mais de 35 mil espectadores, quem abriu o marcador foi a equipe do Parque São Jorge, com gol de Marques logo aos três minutos. O clássico seguiu muito disputado e teve três expulsões (Branco e Luizinho, pelo Corinthians, e Zinho, pelo Palmeiras), porém o placar não se alterava. Até que Rivaldo, aos 36 da etapa final, empatou e deu números finais, findando o sonho alvinegro.

FICHA TÉCNICA
Palmeiras 1 x 1 Corinthians

Data:18/12/94 Domingo
Local: Pacaembu (São Paulo-SP); 
Público: 35.217;
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG);
Gols: Marques 3' do 1º; Rivaldo 36' do 2º;
Cartões Amarelos: César Sampaio, Antônio Carlos, Ronaldo, Branco,
Gralak e Marcelinho Carioca;
Expulsões: Zinho, Branco e Luizinho

Palmeiras: Velloso, Cláudio, Antônio Carlos, Cléber e Wágner;
César Sampaio, Flávio Conceição (Amaral), Zinho e Rivaldo;
Edmundo (Tonhão) e Evair. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Corinthians: Ronaldo, Paulo Roberto Costa, Henrique, Gralak e
Branco; Luizinho, Marcelinho Paulista e Souza (Tupãzinho);
Marcelinho Carioca, Viola e Marques. Técnico: Jair Pereira.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Copa do Mundo 2014 - Suíça x Equador

População: 7,866 milhões.
Área: 41 285 km².
Moeda: Franco Suíço.
Capital: Berna.
Idiomas: Alemão, francês, italiano e romanche.

                A Suíça é uma republica federal composta por 26 estados que são chamados de cantões, com Berna como sede das autoridades federais e Zurique como cidade mais populosa e famosa. O país faz divisa com Alemanha ao Norte, Itália ao Sul, França ao Oeste e Áustria e Liechtenstein ao Leste.
                A Suíça é um país sem costa marítima e seu território é dividido geograficamente entre Jura (cordilheiras), o Planalto Suíço e os Alpes. No Planalto é onde se encontram a maioria das grandes cidades e entre elas estão as duas grandes potências globais e econômicas Zurique e Genebra, que também foram eleitas duas das cidades com melhor qualidade de vida, ficando em segundo e terceiro respectivamente.
                A Suíça é um dos países mais ricos do mundo em PIB per capita calculado em 78 835 dólares americanos em 2011 e abriga diversas sedes de organizações mundiais, como; A Cruz vermelha, Fórum Econômico Mundial e o segundo maior escritório das Nações Unidas, além do COI, FIFA e UEFA também terem suas sedes no país.

FUTEBOL:

                A Suíça já é uma seleção veterana em Copas do Mundo, indo para a sua décima participação com a edição de 2014. A melhor  colocação dos suíços foram nas Copas de 1934, 1938 e 1954 chegando até as quartas-de-finais.
                Os suíços são conhecidos por terem uma defesa sólida e terem passado muitos jogos sem sequer levar gols e em Copas do Mundo são detentores do recorde de mais tempo sem sofrerem gols em minutos, sendo eliminados da competição sem sofrerem nenhum gol em 2006, caindo nas oitavas-de-finais nos pênaltis para os ucranianos e levando novamente um gol em Copas apenas contra o Chile, na segunda partida da fase de grupos da Copa do Mundo de 2010 aos 29 minutos do segundo tempo.
A Suíça foi sede da quinta edição da Copa do Mundo, em 1954 vencida pela Alemanha Ocidental e sede da Eurocopa de 2008, participando pela terceira vez apenas da competição e como nas anteriores sendo eliminada na fase de grupos. Em se tratando de Eurocopa, o mais jovem marcador pertence ao país. Johann Vonlanthen na Eurocopa de 2004 marcou o gol de empate contra a França e batendo esse recorde por três meses de diferença de Wayne Rooney, que acabará de ter sido o recordista quatro dias antes.

PRINCIPAL JOGADOR:

                Xherdan Shaqiri é a grande estrela do time suíço e esperança apesar de jovem. Com apenas 22 anos o meia atua pelo Bayern de Munique da Alemanha e vem fazendo grandes partidas, demonstrando extrema habilidade, técnica e boa finalização com sua canhota. Sua posição preferida é aberto na direita, fazendo sempre jogadas em direção ao centro e finalizando, muito parecido com Robben e isso foi um dos principais motivos de sua contratação. Começou a carreira no Basel da Suíça e começou a atuar na equipe principal com apenas 18 anos e ganhando cinco títulos pelo clube.

ESTRANGEIROS:

                A Suíça sofre um caso curioso e contraditório neste momento. O país recebe diversos imigrantes devido a sua estrutura e foi votada uma iniciativa contra essa imigração em massa, estabelecendo uma cota anual. O curioso é que isso contradiz com a seleção do país, que na maioria não são suíços legítimos. Shaqiri, o craque da equipe é um exemplo, com o país de origem sendo Kosovo. Outros jogadores importantes também podem ser citados, como: Inler que é turco, Djourou que é marfinense, Dzemaili da Macedônia, Xhaka e Behrami, que assim como Shaqiri também são de Kosovo.



População: 15 milhões.
Área: 256 370 km².
Moeda: Dólar Americano .
Capital: Quito.
Idiomas: Espanhol.

                A Republica do Equador é limitado ao norte pela Colômbia, a leste e sul pelo Peru e ao oeste pelo Oceano Pacifico, sendo um dos dois países da região juntamente com o Chile que não faz fronteira territorial com o Brasil. Além do território continental, o Equador também possuí sobre sua jurisdição as ilhas Galápagos, localizadas a cerca de 1000km da costa.
                A sua capital Quito é declarada um Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, em 1970, por ter o centro histórico mais bem preservado e menos alterado de toda a América Latina e o centro histórico de Cuenca, a terceira maior cidade do país, foi declarada como Patrimônio Mundial em 1999 como exemplo notável de uma cidade bem planejada de estilo espanhol colonial.
                É nas Ilhas Galápagos que encontramos uma das maiores variedades do mundo em espécies e ficou bastante famosa pelas pesquisas de Charles Darwin. É graças a ele que hoje a região é o maior laboratório vivo de biologia de todo o mundo e o com mais biodiversidade por unidade de área.

FUTEBOL:

                A seleção Equatoriana de futebol vem evoluindo bastante nos últimos anos e as participações nos Mundiais de 2002 e 2006 é uma prova desta crescente. Além destas Copas, poderia ter participado da Copa realizada aqui no Brasil, em 1950, mas acabou desistindo. Esta então será a terceira participação em Copas e o objetivo é ao menos alcançar as oitavas-de-finais. Em Copas Américas, a melhor posição do Equador foi um quarto lugar em 1993. A maior conquista na história, foi nos jogos Pan-Americanos de 2007, no qual saíram com a medalha de ouro.

PRINCIPAL JOGADOR:

                Antônio Valencia que atua no Manchester United é a principal arma dos equatorianos para a Copa do Mundo. O meio-campista de 28 anos costuma atuar aberto pela direita e muitas vezes também jogando como lateral direito ou ala em seu clube. É tido como um dos jogadores mais velozes do mundo na atualidade. Começou a carreira no El Nacional, do Equador e teve passagens Villarreal, Recrativo e Wigan antes de chegar ao gigante Inglês. Com Ferguson era uma peça importante da equipe, mas com a saída da lenda, assim como todo o time tem caído de produção.

TABELA DE JOGOS:

                Suíça e Equador brigam em igualdade por uma vaga nas oitavas-de-finais, tendo em vista que apesar do fraco futebol apresentado nos últimos anos, a França ainda continua sendo a favorita do Grupo E. Confira abaixo os demais jogos das duas equipes:

Suíça x França – sexta 20/06 ás  16h Fonte Nova.
Honduras x Equador – sexta 20/06 às 19h Arena da Baixada.
Equador x França – quarta 25/06 às 17h Maracanã.

Honduras x Suíça – quarta 25/06 às 17h Arena da Amazônia.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

E porque não Coutinho?

Mais uma convocação de Felipão e mais uma vez o jovem Phillippe Coutinho ficou de fora. O meia nascido no Rio de Janeiro e com origens na categoria de base do Vasco tem apenas 21 anos e saiu do clube precocemente para tentar mostrar o seu futebol no Velho Continente.
                Na Internazionale e no Espanyol as suas atuações foram muito abaixo do esperado e por um determinado tempo a esperança de ser um jogador de destaque começou a deixar de existir, principalmente por ficar de fora de competições de categorias de base com a seleção. Entretanto, vendido ao Liverpool por 10 milhões de Euros, Coutinho reencontrou o seu futebol e reascendeu a admiração daqueles seus antigos fãs.
                No Liverpool tem simplesmente jogado muito e se destacando sendo elogiado diversas vezes por seus companheiros, como: Gerrard (grande ídolo dos Reds) e Suarez (hoje um dos melhores atacantes do mundo). Quem acompanha o Campeonato Inglês sabe que é inacreditável a sua não convocação e no mínimo a dois motivos para isso.
                O primeiro é obviamente o futebol que está apresentando, com gols, assistências e participando de diversas jogadas de perigo e criação. A outra é que o titular da posição, Oscar, não tem um reserva imediato com as mesmas características, forçando sempre Felipão a improvisar o volante Hernanes.
                Com inclusive a não convocação de Hernanes, esse espaço fica ainda mais vazio e não se entende o porquê de o garoto não ter uma chance. O mais incrível é que Felipão por muitas vezes é contraditório, dando chances em demasiada a um goleiro que nem pelo clube vinha jogando ou convocando o jovem William do Chelsea, quando mal tinha jogado pelos Blues. O ex-Shakhtar Donetsk e revelado pelo Corinthians é muito bom jogador, porém hoje está abaixo de Coutinho e em termos de posição, vejo a de William um pouco “cheia”, enquanto a de Coutinho está carente.

                Infelizmente a família Felipão também pode ser encarada como panelinha e dificilmente veremos Coutinho ganhando oportunidade antes da Copa do Mundo.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Paixão de Torcedor - Príscilla Brasileiro

               
 "Em 3 de fevereiro de 14 , o céu do Recife se enfeitou. Uma nova estrela  brilhou naquele dia, nascia o meu tricolor! Meu Santa, meu Santa Cruz! Que tanto nos encanta e seduz (...)". Em uma época onde o futebol era elitizado, cheio de preconceitos, o Santa Cruz surgiu ganhando a admiração do povo exatamente por ir contra a todos esses preceitos sociais da época.  O Santa Cruz jogava em campo aberto, não fazia acepção de jogadores por conta da raça, isso tudo chamou atenção da população, do povão como gostamos de chamar. 
                Parte da minha família tem origem no bairro do Arruda, então ouço muitas histórias sobre o Mais Querido desde pequena. A história do Santa Cruz está na história de Pernambuco a na história de vida de toda a população. Fui criada na zona norte, bairro próximo ao Mundão do Arruda também.  Quando mais nova, chegava a me assustar quando tinha algum jogo, tamanha era a festa na minha rua. Eu, inicialmente, não sentia muita simpatia por futebol. Ouvia de muitas pessoas da família que ir ao estádio era perigoso. Meu pai não frequentava mais o Arruda por conta de um acidente em um clássico, minha tia e ele haviam se machucado na época. Mas não tem jeito, o sangue sempre fala mais alto. Com 8/9 anos comecei a acompanhar os jogos pelo rádio sozinha. Quando tinha algum jogo na TV também assistia. Pedi ao meu pai minha primeira camisa, logo em seguida pedi para ir ao Arruda assistir a um jogo. A camisa? Recebi. Ir ao estádio? Fui enrolada durante um bom tempo (risos).
                Em 2003, no mês do meu aniversário, pedi ao meu pai: "pai, como presente eu quero ir a um jogo do Santa Cruz no Arruda", ele não teve muito o que fazer dessa vez e no dia 13.09.03 (dia do meu aniversário) eu fui ao Arrudão pela primeira vez. Daí para frente não parei mais. Jogo, treino, encontro com os amigos, tudo me levava/leva ao Arruda.
                Eu, sinceramente, não consigo transmitir em palavras o que o Santa Cruz é na minha vida.  É mais que um clube, é algo presente no meu cotidiano. E sei que é assim na vida de outros torcedores corais também. Passamos por momentos complicadíssimos de 2006 a 2013, muitos achavam que o Santa Cruz não iria sobreviver. Má administração por anos, disputar a série D e a série C do campeonato brasileiro, com eliminações precoces, inclusive. Mas o Santa Cruz é o povo, cada queda, cada dificuldade nos uniu mais ainda ao longo dos anos, nos mostrou que a torcida carregará o clube e passará por cima de todas as adversidades.  Porque algo que veio do povo vai permanecer no povo sempre.
                2014, ano do centenário do Mais Querido, do meu Santinha, não estou em Recife. Mas o Santa Cruz permanece em mim pra onde quer que eu vá. São 100 anos de povão, de alegria, de emoção.   "O Alvinegro e depois Tricolor não olhava para o bolso, cor da pele nem profissão de ninguém. Abraçou quem quis segui-lo. Um abraço que perdura por gerações (...)" . Obrigada, Santa Cruz Futebol Clube, por fazer parte da minha família, do meu cotidiano, do meu ciclo de amizades, da minha vida, por fazer parte de mim. Cada ida ao Arruda, cada abraço na hora do gol, seja em um conhecido ou em um estranho, cada sorriso na rua quando alguém me vê com a camisa coral, cada história contada pelo meu pai nas arquibancadas, cada pergunta leiga da minha mãe (que mesmo sem entender muito de futebol te segue da mesma forma), me faz sentir o que é ser Santa Cruz.  Diante disso tudo eu só posso dizer que eu te amo, Santa Cruz Futebol Clube. Obrigada por existir.

Priscilla Brasileiro

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Copa do Nordeste 2014

           
    A Copa do Nordeste está em seu segundo ano após o seu retorno e vem sendo a grande sensação do futebol nordestino. É hoje sem dúvida um título expressivo para os clubes do Nordeste, quebrando a monotonia dos Campeonatos Estaduais e dando uma dimensão maior para alguns clubes que nunca venceram um título além das fronteiras de seu estado.
                A edição de 2014 já esta em fase avançada e a partir do fim de semana que vem começará com as disputas de mata-mata. Oito clubes já caíram e outros oito ainda alimentam o sonho de vencer a competição.
                A maior decepção da primeira fase certamente fica por conta do Bahia que mais uma vez não se classificou para a fase seguinte, ficando em terceiro em seu grupo que ainda contava com CSA e Santa Cruz que se classificaram e com o Vitória da Conquista, lanterna. É verdade que a classificação foi acirrada, mas em termos de estrutura e de time (ao menos no papel) o Bahia deveria ter feito um papel melhor. A goleada sofrida na estreia para o CSA por 4 a 1 e o empate com o Santa Cruz em casa na rodada seguinte foram determinantes na campanha do Tricolor de Aço que até esboçou uma reação, mas que não foi suficiente. O estadual vira agora obrigação para o clube.
                A maior surpresa também está no grupo do Bahia, afinal o Vice-Campeão Alagoano de 2013 corria por fora para se classificar e superou dois grandes times nordestinos, Santa Cruz e Bahia, e ficou em primeiro lugar. O CSA fez um bom saldo de gols com a vitória sobre o Bahia e surpreendeu o time Pernambuco fora de casa, com uma vitória magra de 1 a 0.
                O América de Natal foi o melhor time da primeira fase, sendo o único clube invicto até o momento na competição, vencendo três jogos e empatando outros três. Já o Vitória da Conquista foi o pior time, não obtendo nenhuma vitória e amargando cinco derrotas. O único ponto foi conquistado no empate contra o CSA no Lomanto Junior.
                Os classificados foram: América de Natal e Vitória do Grupo A, CSA e Santa Cruz do Grupo B, Ceará e CRB do Grupo C e Guarany de Sobral e Sport do Grupo D. Confira abaixo como ficou o chaveamento do mata-mata:

América x CRB (primeiro jogo no Rei Pelé dia 15/02 e a volta na Arena das Dunas no dia 27/02).

Ceará x Vitória (primeiro jogo no Pituaçu dia 16/02 e a volta no Presidente Vargas dia 26/02)

CSA x Sport (primeiro jogo na Ilha do Retiro no dia 16/02 e a volta no Rei Pelé dia 26/02).


Guarany de Sobral x Santa Cruz (primeiro jogo no Arruda no dia 15/02 e a volta no Junco dia 26/02).

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Trocando uma dor de cabeça, por uma enxaqueca!

                
Uma noticia que de certa forma abalou o universo futebolístico do Brasil nesta noite de quarta feira foi a troca entre o atacante Alexandre Pato do Corinthians pelo meia Jadson do São Paulo. As duas equipes que tem deixado a desejar no futebol desde o ano passado, parece que em termos de mídia e marketing ainda não perderam a coroa.
                Em se tratando do Corinthians, até pode ser um bom negocio, apesar de arriscado. O clube precisa reformular principalmente o setor do meio de campo que acabou de ser desfalcado pela saída de Douglas e que ainda conta com Danilo e Rodriguinho em baixa, além de Renato Augusto que se sabe lá quando poderá jogar. O jogador de 30 anos terá seu vinculo encerrado com o clube do Morumbi e assinará por dois anos com o Corinthians. Ele tem qualidade, mas gerará desconfiança no primeiro momento, estando liberado para jogar de imediato, já que disputou apenas uma partida pelo Campeonato Paulista.
A única desvantagem que vejo para o Alvinegro é o financeiro. O clube pagou R$ 40 milhões em Alexandre Pato e por hora não terá exatamente o retorno esperado, porém, como o vinculo do jogador com o rival é por empréstimo, ainda existe tempo.
                Já no caso do São Paulo não consigo ver uma vantagem relevante para a contratação. O jogador chega ao Morumbi por empréstimo de dois anos e não definitivo. O Corinthians bancará metade do salário do jogador (cerca de R$ 350 mil), porém o jogador nestes dois anos não poderá jogar contra o time dono de seus direitos, além de jogar somente a partir de Março, pela Copa do Brasil. Resta saber deste contrato se o Corinthians poderá vender o jogador durante o período de empréstimo, deixando assim o Tricolor desfalcado e recuperando pelo menos parte do investimento.
                Outra questão é que o atacante vive muito em baixa e entrará em um time que vive um momento tão conturbado quanto o Corinthians, isso se não estiver mais graças ao clima politico que vem se estabelecendo no São Paulo. O jogador não chega simplesmente questionado, ele chega “odiado”, afinal sempre nos confrontos entre as duas equipes, vinha causando polemicas, principalmente com a torcida e o goleiro, capitão e ídolo: Rogério Ceni.

                Acredito que o negócio não tenha sido bom para nenhum dos dois, mas “menos pior” para o Corinthians. Para o São Paulo achei um erro gigantesco e não podemos ficar contando sempre com o “se dar certo”, afinal Marcelinho Paraíba, Léo Lima, Cleber Santana, Edson Silva também podem entrar nesse “se da certo” e hoje sabemos o que deu.